Larissa Catarina Nunes Santana

Nutricionista. Especializaçda em Produção Alimentar e Alimentação Funcional. Pós Graduada em Alimentação Clínica

 

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: POR ONDE COMEÇAR?

Eis que de uma simples conversa sempre surge a pergunta: “E com o que você trabalha? ” “Eu sou nutricionista”! Pronto! Basta essa resposta para começar uma série de dúvidas: o que comer após o treino? Devo cortar o glúten? Carne vermelha causa câncer? Pão engorda? Quantas calorias tem uma taça de vinho, e por aí vai... já tive tantas abordagens inusitadas que daria para escrever um livro. Entendo perfeitamente os questionamentos, já que hoje vivemos um verdadeiro “terrorismo nutricional” onde cada dia conhecemos um alimento milagroso ou um vilão diferente! Como não ficar confuso diante de tudo isso?

 

Por onde começar?

Alimentar-se bem é mais que uma questão de escolha. É uma questão de atitude, de determinação e de força de vontade. É preciso lembrar diariamente dos efeitos, benéficos e maléficos, que o alimento pode trazer para o nosso organismo. E por mais que alimentação saudável pareça uma coisa complicada, não é. Comida saudável pode sim ser saborosa, prática, agradável aos olhos e ao paladar.

 

Os primeiros passos...

Não adianta querer mudar tudo do dia para noite, hábito se constrói com tempo e com determinação. Vamos a algumas dicas básicas:

 

 

Consuma diariamente frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos. Esses alimentos possuem em sua composição fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes que são fundamentais para o bom funcionamento do organismo, além de atuarem na prevenção de doenças e do envelhecimento precoce.

 

 

Substitua os cereais e as farinhas refinadas pelas integrais. Os alimentos integrais possuem mais fibras e por isso um índice glicêmico menor, além de darem mais saciedade. Assim, substitua o pão branco pelo pão integral, os biscoitos comuns e recheados pelos cookies integrais, o arroz branco pelo arroz integral, o açúcar refinado pelo mascavo em pequena quantidade.

Inclua diariamente alimentos funcionais como aveia, chia, linhaça, quinua e amaranto nas refeições. Estes alimentos, além de nutrir, podem auxiliar na prevenção de várias doenças.  

 

 

Evite o consumo de gorduras saturadas e gorduras trans, presente principalmente nos alimentos industrializados. Consuma gorduras de boas fontes, como as insaturadas, presentes no azeite de oliva extra virgem e o ômega-3, encontrado na linhaça, na chia e nos peixes como salmão, sardinha e atum. Ambas gorduras possuem ação anti-inflamatória, protegem a saúde cardiovascular e auxiliam na redução da pressão arterial.

 

 

Utilize temperos naturais em sua refeição. Eles conferem melhor sabor ao prato e proporcionam efeitos benéficos. O alho utilizado tradicionalmente para tempero pode auxiliar no controle da pressão arterial; o gengibre possui efeito termogênico, ajudando a acelerar o metabolismo; a cúrcuma tem ação anti-inflamatória e antioxidante.

Não pule as principais refeições - café da manhã, almoço e jantar -, e procure realizar dois lanches pequenos entre essas refeições e outro após o jantar. Para esses pequenos lanches opte por alimentos saudáveis e pouco calóricos. Algumas opções são frutas, legumes crus, cookies integrais, oleaginosas com castanhas e nozes, iogurte com granola, salada de frutas e frutas secas.

O ideal é você adequar a alimentação saudável a sua rotina diária, um passo de cada vez e sempre evoluindo. Os ganhos são enormes, é preciso sempre lembrar que nossa saúde é nosso maior patrimônio, merece todo cuidado.